Por dentro do Museu Imperial

Carta escrita em 1889 pelo conde d’Eu é doada ao Museu



O Museu Imperial acaba de receber uma importante doação para seu Arquivo Histórico: uma carta escrita em 17 de novembro de 1889 (dois dias após a Proclamação da República) pelo conde d'Eu para Joaquim Delfino Ribeiro da Luz, que foi um magistrado, político e proprietário rural brasileiro.  O documento foi doado pelo médico Nelson Ribeiro da Luz Lobo Martins, bisneto de Joaquim Delfino - que recebeu a carta de seu pai, após o documento ter sido passado entre as gerações da família.

De acordo com informações da assessoria do Museu: "Na carta, o conde d'Eu solicita que Joaquim Delfino dê procedimento às obras de construção da Igreja de Nossa Senhora da Hungria, em Caxambu (MG). A igreja havia começado a ser construída em 1868, em cumprimento a uma promessa feita pela Princesa Isabel."

Ainda de acordo com informações da assessoria, " a correspondência passará a integrar o acervo do Arquivo Histórico, que conta com mais de 200 mil documentos, incluindo cartas, fotografias, ilustrações e outros. Interessados em consultar documentos podem agendar a visita junto ao Arquivo."

SERVIÇOS

Arquivo Histórico do Museu Imperial
Funcionamento: de segunda a sexta, das 9h30 às 17h30, mediante agendamento prévio
Contatos: mimp.arq.historico@museus.gov.br / (24) 2245-1627 / (24) 2245-1675

Programação/ Artes Visuais

Programação

Saiba mais aqui

Programação/ Artes Visuais

Programação/ Artes Visuais (RJ)



Cultura

Inscrições abertas para Editais 2011/2012 da Secretaria de Estado de Cultura

Estão abertas as inscrições para quatro Editais 2011/2012 na Secretaria de Estado de Cultura: festivais de música, teatro e audiovisual, grupo de música de câmara, promoção de novos artistas (clipes de música de trabalho de novos artirtas ou grupos, segunda edição.) e artes visuais (exposição, arte urbana e publicações).

Todas as informações aqui. 

Programação/ Fotografia

Ateliê da Imagem comemora dia mundial da fotografia
 
Reprodução de internet
 
O Ateliê da Imagem está com uma programação especial para o Dia Mundial da Fotografia, comemorado nessa sexta-feira (19). O roteiro completo está disponível aqui. Entre as atrações: leituras de portfólio, Fotofeira,  projeções em loop dos projetos O Estendal, Simultâneo, Totem Art e Mostra Livre de Fotografia e o debate EQUIVALENTES A STIEGLITZ, com mediação de Marco Antonio Portela e as participações especiais de Pedro Karp Vasquez e Andreas Valentin
 
Imperdível!

Programação/ Artes Visuais (RJ)


Prima de Carlos Drummond de Andrade expõe em São João de Meriti

A Nossa Galeria de Arte realiza anualmente, desde 2007, a exposição "PRA TI MERITI", no mês de agosto, para comemorar o aniversário do município. A mostra deste ano acontece entre 26 de agosto e 30 de setembro. "Clores de Todas as Eras" vai apresentar pinturas e esculturas da artista plástica mineira de trajetória e reconhecimento internacional Clores Andrade Lage - prima de Carlos Drummond de Andrade.
De acordo com informações da assessoria da galeria, “o objetivo do Projeto é possibilitar à população meritiense um contato mais estreito com as artes plásticas e seus grandes artistas.Além das obras de Clores, os visitantes terão a oportunidade imperdível de ver cartas originais que Carlos Drummond de Andrade escreveu e dedicou a Clores."



A artista estará presente na abertura da exposição (próximo dia 25) para lançar e autografar seu quinto livro, intitulado "Ecos de Outras Eras". 
A mostra tem entrada franca e está em cartaz de 2ª a 6ª feira, das 11h às 20h.




Conheça Clores Andrade Lage*:

 *texto: assessoria de imprensa

"Aos 67 anos, Clores Andrade Lage é uma dessas mulheres intensas em plena atividade na “melhor idade” da vida. Pintora, escultora, documentarista, inventora, cineasta e escritora, por uma feliz coincidência até o seu nome é plural. Clores: artista multifacetada exemplo vivo da inovação.
Clores possui trajetória relevante nos cenários nacional e internacional das artes plásticas; expôs em países como Portugal, Holanda, Estados Unidos da América, Bélgica, Angola, Uruguai, entre outros. Na área literária destaca-se a participação na "The Good Bye Anthology" (Antologia do Adeus) da Academia Internacional de Letras no ano de 2000. Recebeu, em 2003, da Ordini Accadêmico Internazionale "Greci Marino" na Itália, o título de Caballero Oficiale Acadêmico pela criação da movitela: tela com movimento côncavo e convexo que ela inventou e patenteou.
Obstinada, inventiva e inquieta, suas telas nos levam a enxergar o que está dentro de nós. Clores abstrai tudo ao seu redor. O invisível e o visível, figuração e abstração se entrosam no espaço da tela, questionando o real e o imaginário. Nas suas esculturas expressa seu amor pela natureza trabalhando com reaproveitamento de materiais nobres e utilizando resíduos de floresta, raízes e pedras. Suas esculturas resultam do misto de metal, granito e madeira esculpida pela natureza. Para Carlos Drummond de Andrade, a obra de Clores é "linda como concepção e realização".

A Nossa Galeria de Arte fica no Rio Ville Shopping em Vilar dos Teles: Av. Automóvel Clube, 2.384 - 3º piso

OBS.: A partir das 19:30 horas a entrada principal do shopping estará fechada, assim a entrada será pela Universidade Estácio de Sá (entrada na lateral do shopping).

Programação/ Artes (RJ)

Programação/ Artes Visuais

clique para ler

Programação/ Artes Visuais (CE)

Por dentro do Museu Imperial

Informe da assessoria sobre a poda de árvores nos jardins do museu*

Divulgação/ Assessoria

*texto da assessoria de imprensa do museu imperial reproduzido na íntegra

"Preocupado com a segurança de seus visitantes, o Museu Imperial precisará cortar seis árvores do seu jardim. A medida será tomada após uma análise que concluiu que as espécies estão secas e com perigo de tombamento, o que colocaria em risco os frequentadores do espaço.

O corte será realizado na próxima segunda-feira, por ser o dia em que o Museu não abre para visitação e, portanto, não há público no jardim.

Os jardins do Museu Imperial recebem um público diário de petropolitanos e visitantes de fora que o utilizam para caminhar, namorar, passear com a família e participar das atividades físicas desenvolvidas no espaço.

Confira abaixo as atividades realizadas periodicamente nos jardins:

1)     Todo dia é dia de Yoga
Aulas práticas abertas e gratuitas, ao ar livre, onde são utilizadas técnicas respiratórias, exercícios psicofísicos de força e flexibilidade, técnicas de concentração, entre outros.
Datas: todo primeiro e terceiro domingo do mês, das 9h30 às 11h
Professor: Fábio Goulart
Local:Pátio/varanda lateral esquerda

2)   Atividades promovidas pelo Programa de Assistência Integral do Idoso (PAISI) da Secretaria Municipal de Saúde
Informações pelo telefone (24) 2248-1907 ou em ssasisvan@petropolis.rj.gov.br

Tai-Chi-Chuan 1
Datas: Segundas, quartas e sextas, das 7h30 às 8h
Professora:Begoña Javares
Local: Pátio da Ala Direita (em caso de chuva as atividades ocorrerão no Pátio Lacombe - Locomotiva)

Tai-Chi-Chuan 2
Datas: Terças e quintas, das 8h às 9h e das 9h às 10h
Professor:Rafael Motta da Silva
Local: Pátio da Ala Direita (em caso de chuva as atividades ocorrerão no Pátio Lacombe - Locomotiva)

Caminhada
Datas: Segundas e quartas, das 8h às 8h30
Professora: Ana Lúcia Habib (fisioterapeuta gerontóloga)
Local:Jardins e Pátio

Alongamento
Datas: Segundas e quartas, das 8h30 às 9h30
Professora: Ana Lúcia Habib (fisioterapeuta gerontóloga)
Local:Jardins e Pátio


SERVIÇOS

Museu Imperial
Endereço: Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ
Telefones: (24) 2245-5550 / (24) 2245-5560

Visitação: de terça a domingo, das 11h às 18h
Jardins: de terça a domingo, das 8h às 18h"

Programação/ Artes Visuais

Por dentro do Museu Imperial

Inscrições de ouvintes para o Seminário acontecem até dia 30

As inscrições de ouvintes para o Seminário Nacional de Digitalização, Preservação e Difusão de Acervos Patrimoniais estão abertas até 30 de agosto. O evento é promovido pelo Museu Imperial de Petrópolis, entre 19 e 21 de outubro. De acordo com a assessoria do museu:

"O evento é uma iniciativa do Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (Projeto DAMI) e fará parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. O seminário foi idealizado no âmbito das discussões que envolvem o processamento técnico de acervos arquivísticos, bibliográficos e museológicos nas instituições de guarda públicas e privadas, visando à democratização do acesso aos bens culturais através da digitalização e disponibilizaçãoonline. O evento apresentará ainda o trabalho realizado na construção da base de dados do Museu Imperial pelo Projeto DAMI que tem como objetivo disponibilizar na internet todo o acervo da instituição."

As inscrições podem ser feitas aqui. Os valores giram entre R$ 100,00 e R$ 50,00 (estudantes, professores e servidores públicos). A inscrição contempla ainda as apresentações dos espetáculos Som e Luz e Um Sarau Imperial.

Cursos/ Teatro

Programação/ Fotografia

clique para ler

Por dentro do Museu Imperial

Manutenção no site

O portal do Museu Imperial (www.museuimperial.gov.br) estará fora do ar no próximo final de semana [dias 20 e 21] para que seja realizada a manutenção. De acordo com informações da assessoria, "no período, o Laboratório Nacional de Computação Científica do Rio de Janeiro (LNCC-RJ), que hospeda o site, passará por uma manutenção para migração da rede elétrica definitiva em seu centro de processamento de dados. O Museu Imperial pede desculpas ao seu público pelo inconveniente."

Programação/ Fotografia

Clique para ler

Cursos


Programação

Curso/ Fotografia



O Ateliê Derossi oferece a partir do próximo dia 20, os cursos Fotografia básico, Fotografia avançado, Estúdio & Iluminação e Fotojornalismo.


Informações:
Endereço: Rua Barão de Mesquita, 143 - Tijuca, Rio de Janeiro
Telefone: (21) 2567-0406
E-mail: contato@ateliederossi.com.br
site: www.ateliederossi.com.br

Programação/ Artes Visuais (RJ)



Até sexta na Barra da Tijuca


Pintura de Leandro Silva

Os fãs do surf tem até sexta-feira (12), das 10h às 19h, para visitar a exposição que a galeria Art In Surf está promovendo. 
O pintor Leandro Silva e o fotógrafo Bruno Lemos se uniram para criar uma série de telas que retratam a cultura do arquipélago havaiano. As 12 telas originais que estão em exposição também estão à venda.

BRUNO LEMOS É UM FOTOGRAFO RENOMADO NO MUNDO DO SURF  E VIVE NO HAVAÍ , ATUAL VENCEDOR DO PREMIO DE MELHOR FOTO DE ONDA GIGANTE EM 2011

LEANDRO SILVA VEM GANHANDO ESPAÇO NO BRASIL ,VEM PARTICIPANDO DE EXPOSIÇÕES E  FOI PREMIADO NO SALÃO DE ARTES PLÁSTICAS EM ACEBURGO( MG )  EM 2010 NA CATEGORIA  PINTURA ACADÊMICA.

A Galeria Art in Surf fica na Barra da Tijuca: Av.Olegário Maciel, 260.

Por dentro do Museu Imperial

Internet gratuita

O Museu Imperial oferece uma novidade para seus visitantes: o sinal de internet sem fio Wi-Fi em suas dependências.  A iniciativa é uma parceria com a empresa Altarede Corporate, que será a responsável pela geração e disponibilização do sinal.
"Com a tecnologia, todos os que estiverem nos arredores do palácio poderão acessar a internet gratuitamente em seus notebooks, tablets, celulares e outros dispositivos que possuam essa função. O objetivo da iniciativa é atender cada vez melhor ao público do Museu e oferecer serviços de qualidade não apenas aos visitantes do palácio, mas também a todos os frequentadores dos jardins e da área externa", informou a assessoria do museu, "Os jardins do Museu Imperial estão abertos de terça-feira a domingo, das 8h às 18h, período em que os visitantes poderão desfrutar da internet gratuita. Já a visitação ao palácio pode ser feita das 11h às 18h."

Por dentro do Museu Imperial

Agosto na Biblioteca infantil Rocambole

Imagem: Chandra Santos | Outras aqui

A assessoria de imprensa do Museu Imperial divulgou a programação do mês de agosto na Biblioteca Rocambole. Todas as atividades são voltadas para instituições escolares e devem ser previamente agendadas junto ao setor de Educação do Museu Imperial, através do telefone (24) 2245-7735. Confira:


Textos da assessoria do Museu Imperial

"Entre 10 e 24 de agosto, às 13h30, haverá a “Hora do conto” com o livro “Lendas de Amor dos índios brasileiros”, de Katia Canton. A obra apresentao mundo mágico da cultura indígena, que busca explicar os fenômenos da natureza, as árvores, os rios, as plantações e os animais. A atividade é destinada a grupos escolares do 3º ao 4º ano do ensino fundamental com, no máximo, 25 crianças."

"Nos dias 12 e 31, às 14h30, será oferecida a oficina de adivinhações, trava-línguas e parlendas, voltada para grupos escolares do 1º ao 4º ano do ensino fundamental com, no máximo, 25 alunos. Na atividade – baseada no livro “Quem canta seus males espanta”, de Theodora Maria Mendes de Almeida –, serão realizadosjogos e concursos com o rico acervo que faz parte das manifestações orais do folclore brasileiro."

"Em comemoração à Semana do Folclore, no dia 17, às 15h, haverá uma apresentação das lendas do Saci-pererê, do Lobisomem e do Curupira, extraídas do livro “Viagem pelo Brasil em 52 Histórias”, de Silvana Salerno, que reúne lendas e contos populares tradicionais de nosso país. Em seguida, será realizado umjogo criativo de expressão oral a partir do enredo das três lendas. A atividade, conduzida pela arte-educadora Alaíde Guedes, é destinada a grupos de, no máximo, 25 alunos do 1º ao 3º ano do ensino fundamental."

"Nos dias 19 e 26, às 14h30, será a vez da oficina de brincadeiras e brinquedos populares, voltada para alunos do 1º ao 4º ano do ensino fundamental. Na atividade, serão apresentadas brincadeiras e brinquedos tradicionais, como amarelinha, bola de gude, as cinco Marias e escravos de Jó. As crianças poderão conhecer a história de cada brincadeira, como também brincar em grupo."

Blog da Biblioteca: http://bibliotecarocambole.blogspot.com.

Literatura

O Rabino e o Psicanalista 

A carioca Rosane Chonchol é descendente de judeus de Kiev e Esmirna. Além de escritora, Rosane é artista e psicanalista. No livro "O Rabino e o Psicanalista", ela mistura sonho e realidade em doses desconcertantes, transformando o mundo-livro numa hilariante sessão de análise. 

O livro está a venda pela KBR Editora Digital, de Petropolis (RJ) em formatos POD (impresso) e Ebook (digital). Clique aqui para comprar.

Programação/ Artes Visuais (RJ)

Lançamento de Felipe Barbosa na Travessa


 O artista plástico Felipe Barbosa lança no próximo dia 12, às 19h, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, o livro ‘Matemática imperfeita’. A obra retrata 15 anos da carreira do artista usando textos críticos de Marisa Flórido, Fernanda Lopes, Guilherme Bueno, Felipe Scovino e Luciano Vinhosa.

A publicação, lançada pela editora Apicuri, é patrocinada pelas galerias que representam o artista: Cosmocopa Arte Contemporânea e Baró Galeria.

De acordo com informações da assessoria, "o livro serve de referência para pesquisadores, colecionadores e interessados em arte contemporânea." 


Programação/ Artes Visuais (RJ)

Nessa sexta-feira!


Programação/ Artes Visuais (SP)

Conheça a obra de Rogério Rauber aqui

Programação/ Artes Visuais (RJ)

Na CAZA

A Galeria Caza Arte Contemporânea, localizada na Lapa, Centro do Rio de Janeiro, inaugura na próxima quarta-feira (10), às 19h, a exposição"MÚLTIPLOS MÚLTIPLOS".  A mostra reúne obras de 16 artistas: Marcos Abreu, Julio Ferreira Sekiguchi, Victor Arruda, Marcio Zardo, Roberto Tavares, Roberto Precioso, Marcelo Lago, Jorge Duarte, Manfredo de Souzanetto, Jefferson Svoboda, Júlio Castro, Helio Branco, America Cupello, Sandra Passos, Murilo Maia e Leo Ayres.
De acordo com informações da galeria, a mostra se baseia no conceito que "tudo aquilo que se divide, se multiplica". E essa multiplicidade estará explícita nas obras dos artistas em exposição.

Imperdível!
A Caza Arte Contemporânea fica na Lapa: Rua do Resende, 52


Exibir mapa ampliado

Por dentro do Museu Imperial

Festival da Cultura do Japão


Até o próxima dia 14 acontece mais uma edição do Bunka-Sai - Festival da Cultura do Japão - em Petrópolis, região do serrana do RJ. O evento conta com exposições, workshops, teatro, artes marciais, música e gastronomia. E, como ocorreu nos anos anteriores, parte da programação acontecerá no Museu Imperial, como informa a assessoria do local. Confira:


Programação


13 de agosto, sábado
11h :: Demonstração de Budô
Artes marciais: Karatê, Judô, Jiu-jitsu e Aikido
Local: Pátio do Museu Imperial
15h :: Encontro de Cosplay
Apresentação de fantasias de personagens
Local: Pátio do Museu Imperial
16h :: Coral Cant’Vox da Escola de Música Santa Cecília
Local: Sala da Batalha de Campo Grande – Museu Imperial

14 de agosto, domingo

 11h :: Demonstração de Taiko e Coral de Valença
Demonstração com o conhecido instrumento de percussão tradicional japonês e apresentação do Coral de Valença
Local: Pátio do Museu Imperial
14h :: Demonstração de Taiko e Coral de Valença
Demonstração com o conhecido instrumento de percussão tradicional japonês e apresentação do Coral de Valença
Local: Pátio do Museu Imperial
16h :: Cant’Vox
Coral da Escola de Música Santa Cecília
Local: Sala da Batalha de Campo Grande – Museu Imperial

O Museu Imperial fica no Centro de Petrópolis: Rua da Imperatriz, 220  

Programação (RJ)

Reinauguração da Praça Tiradentes

Clique para ler

Programação (Piraí - RJ)

Clique na imagem para ler

Programação/ Artes Visuais (Petrópolis)

Programação/ Artes Visuais (RJ)

Claudio Aun no Rio

O Centro Cultural Correios recebe, até 18 de setembro, a mostra  individual “Claudio Aun 40 anos de inspiração em arte”. A mostra é composta por quinze esculturas de mármore reciclado dedicadas aos deuses gregos, como Poseidon; além de quatro trabalhos em bronze evocando a mitologia; e mais quinze pinturas em  óleo sobre tela,  pertencentes à série Gemas do Brasil.
A entrada é franca e a mostra está em cartaz de terça a domingo, de 12h às 19h. 

Quem é Claudio Aun?*
*Texto da assessoria de imprensa
“Inaugurando carreira artistica na cidade de São Paulo em 1969, Claudio Aun migrou dois anos depois para o Rio de Janeiro.  Em pouco tempo, o paulista  passou a integrar diversas mostras individuais e coletivas,  colecionando centenas de participações tanto no Brasil quanto no exterior. Seus trabalhos já transitaram por cidades como Nice (França),  Lisboa (Portugal),  pela capital francesa Paris,  pela capital alemã Berlim,  Amsterdam (Holanda),  Montevideo (Uruguai) e Tampa (Florida/EUA). Entre nós,  sua arte percorreu espaços como a  Villa Riso, o Hotel Copacabana Palace e o MAM-Resende (todas no Rio de Janeiro, em 1985);  o Centro Cultural Light/RJ (1995);  a Galeria Sesc Copacabana (1997);  o prestigiado Museu Nacional de Belas Artes (2001) e ainda o Centro Cultural Correios (em 2010), dentre dezenas de outros. No ano passado,  sua reconhecida trajetória foi realçada: Claudio Aun foi nomeado  para uma cadeira da Academia Brasileira de Belas Artes,  tendo como patrono o renomado fotógrafo Marc Ferrez. Desenvolvendo um incansável trabalho em prol da arte,  paralelamente ao universo das exposições  Aun atuou como cenógrafo e há mais de uma década é professor de escultura na Casa de Cultura Laura Alvim, formando centenas de artistas.”

O Centro Cultural Correios fica no Centro:  Rua Visconde de Itaboraí, 20

Programação/ Artes Visuais (RJ)

Na Progetti


Programação/ Artes Visuais (SP)

(Clique no convite para ler)


Orizzonti Dell’Uomo – Felippe Moraes

Texto da curadora Paula Borghi

Orizzonti Dell’Uomo intitula a exposição individual de Felippe Moraes, que apresenta uma série de trabalhos produzidos nos três últimos anos de pesquisa do artista. A exposição transita por técnicas variadas, tais como serigrafia, instalação, fotografia e desenho, indagando de forma poética questões da metafísica, como a dúvida sobre o horizonte do homem.

Felippe Moraes explora idéias que poderiam muito bem dialogar com a civilização egípcia, com o renascimento e até mesmo com o iluminismo. Pois é na possibilidade de criar o impossível que o artista se inspira; nas pirâmides do Egito, nas criações de Leonardo da Vinci, Michelangelo e Galileo Galilei, entre outros. Trazendo para sua produção o Homem Vitruviano como medida universal e a esfinge como mistério.

Ao mesmo tempo em que o artista busca no passado suas inspiração, é no contemporâneo que seu trabalho emerge. Motivado por pensar arte, ciência e misticismo em uma mesma esfera, Moraes usa signos que tangenciam as diversas áreas, tais como formas geométricas e o ouro.

Seria um devaneio pessoal associar a presença do ouro nas obras de Moraes ao impossível? Arrisco-me a dizer que não, visto que a alquimia – tida como a química da Idade Media e da Renascença – procurava, sobre tudo, descobrir a pedra filosofal, a fim de transformar metais comuns em ouro. Neste sentido, entendo o dourado como um elemento místico e científico, que alcança questões acerca do infactível quando realizado através da arte.

Moraes utiliza o ouro como elemento conector, que é representado através do dourado em quase todas as obras apresentadas. Como é o caso de O Concreto e o Sutil, 2011, uma série de imagens capazes de embair a mente. Tratam-se de quatro serigrafias, que quando vistas de longe mostram apenas um quadrado dourado, enquanto de perto revelam quadrados “presos” por ferramentas. Sendo que o nível, uma das ferramentas, apresenta um índice sutil de estranhamento, quebrando com o equilíbrio do todo.

A presença do quadrado segue em Olho, 2009, por meio de um desenho em negativo; como se a luz dourada que emana iluminasse o quadrado branco desenhado na parede. Fazendo alusão ao desenho de uma janela, porém de uma janela que não mostra nada ao outro, pelo contrario, observa-o.

Se em Olho o trabalho observa o espectador, em À Distância do Horizonte, 2011, ele indaga o posicionamento do homem perante o mundo. Com uma fórmula elaborada junto a um matemático, Moraes responde a cada indivíduo qual seria sua distância em relação ao horizonte, na impossibilidade de alcançar a linha em que a terra e o céu se tocam, visto que a cada passo a distância se mantêm.

A busca pelo infinito permanece em Orizzonti Dell’Uomo, 2011. Trata-se de uma fotografia, que registra uma homenagem concedida ao cientista, matemático e astrônomo, por seu aprimoramento significativo do telescópio. Pois igualmente a Galileo, Felippe Moraes sonha alto, com criações que buscam o eterno, o intangível e tudo aquilo que é inefável.
Destarte, a exposição nos remete ao impossível, mas não seria esta a função social da arte e da ciência; quebrar paradigmas?

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!