Programação/ Artes Visuais [SP]


Exposição Cantigas*

 

São Obras inspiradas no tema ‘Cantigas’, sejam elas Cantigas de Roda, de Maldizer, de Ninar, de Amor e de Candomblé.

A natureza e ação de cada  integrante da roda, fica por conta da imaginação e interpretação de cada observador. Podem ser crianças, homens, mulheres, fadas, espíritos, extra-terrestres ou  seres imaginários da infância de cada um. Liberte sua imaginação,lembre das suas e conheça novas Cantigas.

Exposição Cantigas de Alvaro Azzan
Local: Piola Campinas
Rua Ferreira Penteado, 1463
Cambuí - Campinas (SP) - Brasil
Data : 21 de novembro, 19h

*Texto: Assessoria de Imprensa

Programação/ Dança

Programação/ Literatura



Para refletir


Alguém Como Você

Eu ouvi que você se estabeleceu
Que você encontrou uma garota e você está casado agora
Eu ouvi que seus sonhos se tornaram realidade
Acho que ela lhe deu coisas que não dei a você

Velho amigo
Por que você está tão tímido?
Não é como se você tivese que se conter
Ou se esconder da luz

Eu odeio aparecer de repente sem ser convidada
Mas eu não pude ficar longe, não consegui evitar
Eu tinha esperança de que você veria meu rosto e que você se lembraria
De que pra mim, não acabou

Não se preocupe, eu vou encontrar alguém como você
Não desejo nada além do melhor para você, também
Não se esqueça de mim, eu imploro, me lembro que você dizia:
Às vezes o amor dura
Mas, às vezes, fere em vez disso
Às vezes o amor dura,
Mas, às vezes, fere em vez disso, yeah

Você saberia como o tempo voa
Somente ontem foi o tempo das nossas vidas
Nós nascemos e fomos criados numa neblina de verão
Unidos pela surpresa dos nossos dias de glória

Eu odeio aparecer de repente sem ser convidada
Mas eu não pude ficar longe, não consegui evitar
Eu tinha esperança de que você veria meu rosto e que você se lembraria
De que pra mim não acabou

Não se preocupe, eu vou encontrar alguém como você
Não desejo nada além do melhor para você, também
Não se esqueça de mim, eu imploro, me lembro que você dizia:
Às vezes o amor dura,
Mas, às vezes, fere em vez disso, yeah

Nada se compara, não se preocupe ou se importe
Lamentações e erros são produtos da memória
Quem poderia ter adivinhado o gosto agridoce que isso teria?

Não se preocupe, eu vou encontrar alguém como você
Não desejo nada além do melhor para você
Não se esqueça de mim, eu imploro, me lembro que você dizia:
Às vezes o amor dura
Mas, às vezes, fere em vez disso

Não se preocupe, eu vou encontrar alguém como você
Não desejo nada além do melhor para você, também
Não se esqueça de mim, eu imploro, me lembro que você dizia:
Às vezes o amor dura
Mas, às vezes, fere em vez disso
Às vezes o amor dura,
Mas, às vezes, fere em vez disso, yeah, yeah

Por dentro do Museu Imperial

Museu Imperial participa de congresso internacional*



O Museu Imperial participa do III Congresso Internacional UFES/Université Parris-Est/Universidade do Minho, iniciado hoje em Vitória (ES). A instituição é representada pela arquivista Thais Martins e pela historiadora Alessandra Fráguas, do Arquivo Histórico, que apresentarão o trabalho “Diários de D. Pedro II: viagens de conhecimento e reconhecimento”.

A apresentação acontece na quinta-feira (10), no Simpósio Temático 07: “História e escritas (auto) biográficas: invenções e narrativas de si”, coordenado pelos professoresJuçara Luzia Leite (UFES) e Iranilson Buriti de Oliveira (UFCG).

O trabalho versa sobre o Conjunto documental referente às viagens do imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo, que reúne documentos escritos, diários, desenhos, convites, jornais e outros itens relacionados às viagens do imperador, todos pertencentes ao acervo do Arquivo Histórico do Museu Imperial. O conjunto foi agraciado em 2010 com o registro nacional do Programa Memória do Mundo, da Unesco.

O Congresso é realizado de 07 a 10 de novembro na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Para mais informações, acesse.

Museu Imperial
Endereço: Rua da Imperatriz, 220 – Centro – Petrópolis, RJ
Telefones: (24) 2245-5550 / (24) 2245-5560

*Texto: Assessoria de Imprensa do Museu Imperial

Por dentro do Museu Imperial

Sociedade de Amigos doa peças para o acervo do Museu Imperial*

Doações foram realizadas no evento de comemoração dos 20 anos da SAMI



No último sábado, dia 05 de novembro, foram comemorados os 20 anos da Sociedade de Amigos do Museu Imperial (SAMI). Para celebrar, foi realizada uma cerimônia na qual a associação presenteou o Museu com peças para os acervos museológico, arquivístico e bibliográfico da instituição.

Para a Biblioteca, foi doada uma obra raríssima, “Funcções do casamento de sua Magestade Imperial, o senhor Dom Pedro I° com a sereníssima senhora princesa Amelia de Leuchtenberg”. O livro, datado de 1830, traz todo o serviço do casamento de d. Pedro I com sua segunda esposa, d. Amélia, além de poemas e dedicatórias escritas para os noivos. Entre elas, encontra-se uma ode escrita por Félix Émile Taunay, importante pintor francês do século XIX.

O Museu recebeu ainda, para o setor de Museologia, um retrato de d. Leopoldina, primeira imperatriz do Brasil. A pintura tem autoria e data desconhecidas, mas, pelos trajes, é possível identificar que d. Leopoldina foi retratada já como imperatriz, o que restringe o período entre 1822 e 1826, ano de seu falecimento.

Já o Arquivo Histórico foi presenteado com uma série de oito fotografias que formam um panorama em 360° de Petrópolis. As imagens foram capturadas em 1898 por Jorge Henrique Papf, a partir do Morro do Cruzeiro (conhecido atualmente como Morro dos Milionários) e incluem a cadeira na qual o imperador d. Pedro II costumava se sentar para apreciar a vista da cidade.

O presidente da SAMI, dr. Miguel Pachá, ressaltou a importância das sociedades de amigos de museus. “Essas associações são necessárias para que o museu possa desenvolver atividades além das possibilitadas pelo seu orçamento anual, como é o caso da aquisição dessas peças. Assim, mantemos os museus vivos”.

O diretor do Museu Imperial, Maurício Vicente Ferreira Júnior, lembrou que, na data, também era comemorado o Dia Nacional da Cultura, sendo uma ocasião para enfatizar a importância da SAMI não só para o Museu Imperial, mas para a cultura de forma geral.

“As principais missões de um museu são preservar, pesquisar e comunicar seu acervo. E a Sociedade de Amigos e demais parcerias que o Museu possui permitem ampliar essas atividades”, afirmou. “Através dessas parcerias, conseguimos desenvolver projetos como o espetáculo Som e Luz, patrocinado pela Eletrobras, o restauro da Berlinda de Aparato de d. Pedro II, financiada pela GE Celma, e o Projeto de Digitalização do Acervo do Museu Imperial (DAMI), patrocinado em sua primeira fase pela IBM e, atualmente, mantido pela própria SAMI”.

Após a cerimônia, foi oferecido pela SAMI um concerto de Turíbio Santos no Cine Teatro Museu Imperial, gratuito e aberto à população. Considerado um dos principais violonistas brasileiros da atualidade, Turíbio apresentou obras de importantes compositores nacionais, desde Heitor Villa-Lobos a Jackson do Pandeiro, passando por João Pernambuco eLuíz Gonzaga.

*Texto: Assessoria de Imprensa do Museu Imperial

Por dentro do Museu Imperial

Por dentro do Museu Imperial

Berlinda de d. Pedro II será restaurada às vistas do público*



A partir do dia 08 de novembro, o público poderá acompanhar o restauro de uma das mais emblemáticas peças do Museu Imperial: a berlinda de aparato de d. Pedro II, conhecida como “Monte de Prata”ou “Carro Cor de Cana”. A iniciativa, que conta com patrocínio da empresa petropolitana GE Celma, a partir da Lei de Incentivo à Cultura, permitirá a conservação desse patrimônio histórico.

O projeto foi iniciado há cerca de um ano, com a captação de recursos,aquisição de material, planejamento estratégico, adaptação do espaço e, mais recentemente, o desmonte das peças da viatura. No dia 08, será iniciado o processo de restauro em si, realizado às vistas do público.O procedimento ocorrerá na Galeria de Restauro, sala recém-inaugurada pelo Museu Imperial, anexa ao Pavilhão das Viaturas.

Além de poderem seguir a restauração de perto, estudantes, profissionais da área e outros interessados também poderão acompanhá-la através do portal do Museu Imperial (www.museuimperial.gov.br). Periodicamente, uma página especial será atualizada com informações e fotos do projeto.

É a primeira vez que a peça, construída em 1837, passa por uma intervenção tão complexa, que deve durar cerca de 12 meses. A restauração será feita diretamente pela equipe do Laboratório de Conservação e Restauração do Museu, que realizou a capacitação de pessoas da comunidade petropolitana para auxiliar no processo.

A Berlinda

A berlinda de aparato foi construída em 1837 pela firma britânica Pearce & Countz, fornecedora da Casa Real Inglesa, especialmente para a cerimônia de sagração e coroação de d. Pedro II, ocorrida no dia 18 de julho de 1841. Era utilizada pelo imperador em ocasiões solenes, como os casamentos de suas duas filhas, a abertura e o fechamento da Assembleia Geral.

A carruagem foi confeccionada em madeira e ferro e tem em seus elementos decorativos prata, madeira entalhada com folha de ouro e pintura que remete a cana de açúcar, couro, janelas em cristal, bordados e galões em fios dourados, estofamentos e revestimentos em veludo de algodão, etc. Era puxada a oito cavalos.

*Texto: Assessoria de imprensa do Museu Imperial

Programação


Esta exposição conta com 30 artistas, todos estudantes da Escola de Belas Artes, oriundos de diversos cursos. Aberta de terça a domingo, de 14h às 20h. Informações: 25981651.

ATIVIDADES PARALELAS

TERÇAS-FEIRAS, sempre às 17:30h:
...
Cinema expandido – Curadoria de Michelle Sales
Exibição de vídeos, seguida de apresentação do próprio artista e debate com a platéia
22/11 – Vicente Duque Estrada e Jorge Cruz

29/11 – Rúbia Mércia, Alpendre Casa de Arte e Ceará


QUARTAS-FEIRAS, sempre às 17:30h:

Palestras (COM) TRADIÇÃO
09/11 – Utopias contemporâneas
Reflexão sobre as questões estéticas e políticas colocadas no período do Modernismo teatral no Brasil e o contexto atual, marcado por uma nova crise do capitalismo e pela emergência de novas formas de pensar a relação entre arte e política. Neste sentido, serão observadas as formas de permanência de alguns conceitos modernistas, como a Utopia e a Antropofagia.
Com GILSON MOTTA. Pesquisador em teatro, professor adjunto, membro do Coletivo de Performance Heróis do Cotidiano. Autor do livro “O espaço da tragédia”, publicado pela Pers-pectiva.

16/11 – Artes Visuais: Ensino de Arte na Graduação
Apresenta o novo curso de graduação da Escola de Belas Artes, visa levantar pontos de discussão nas formas de abordar o ensino de arte em nível de terceiro grau.
Com SIMONE MICHELIN. Artista, pesquisadora, professora de artes e coordenadora do curso de Artes Visu-ais da EBA/UFRJ. É representada pela galeria A Gentil Carioca.

23/11 – (Com)tradição e (com)vanguarda: novas leituras sobre a AIBA e EBA
Reflexão sobre a contribuição fundamental da criação da Academia Imperial de Belas Artes, no Rio, em 1816. A vinda da Missão Francesa formou um sistema de arte no Brasil, o mais a-vançado para a época: a união entre as Belas Artes, os Ofícios e um programa de pensionato artístico com os Prêmios de Viagem. Esse sistema de arte – ensino, produção artística, crítica de arte e museus – se mantém atualizado na Escola de Belas Artes/UFRJ até os dias de hoje.
Com VLADIMIR MACHADO. Pintor e professor Adjunto de pintura na EBA/UFRJ. Autor da tese de doutorado “Do esboço pictórico às rotundas dos Dioramas: a fotografia na pintura de batalhas de Pedro Américo”, FFLCH-USP, 2002.

30/11 – Arte, visualidade e poder: (des)conexões
Análise das atuais relações entre arte e poder, com ênfase nas diferentes reações estéticas aos atuais imperativos de conexão da sociedade global. Um processo inseparável dos novos arranjos sensoriais produzidos por aparatos midiáticos, cujos mecanismos formam a base (bi-o)política da denominada “sociedade do espetáculo” ou “de controle”.
Com TADEU CAPISTRANO. Professor Adjunto do Departamento de Teoria e História da Arte e do PPGAV/UFRJ, onde desenvolve pesquisas sobre a teoria da imagem e seus campos afins.


QUINTAS-FEIRAS, sempre às 19h:

Quintas Musicais – DUOS – Curadoria de José Mauro Albino

10/11– DUO PINHO BRASIL
Fábio Neves (violão de 8 cordas e a viola caipira) e Márcio Valongo (bateria)
Apresentação de obras de compositores nacionais.

17/11– DUO TONINHO DUARTE E RUDÁ BRAUNS
Toninho (violão) e Rudá(bandolim). Composições de grandes mestres da música brasileira como Ernesto Nazareth, Pixinguinha, João Pernambuco e Jacob do Bandolim

24/11– DUO FLORA MILITO E PEDRO FRANCO
Flora Milito (percussão) e Pedro Franco (violão).Repertório eclético: choro, samba, jazz e da música instrumental regional

01/12 – PROSA DE VIOLAS
Eduardo Machado e Fábio Neves (viola caipira e viola de cocho). Obras do cancioneiro tradicional e popular brasileiro e peças instrumentais, em que se misturam as linguagens rural e urbana dos instrumentos,

08/12 – DUO CANCIONÂNCIAS
Manuela Camargo (voz) e Cyro Delvizio (violão). Obras de grandes compositores brasileiros como Carlos Gomes, Nepomuceno, Villa-Lobos.

15/12 – BALLESTE/NICOLSKY DUO
Gabriel Ballesté (guitarra) e Iuri Nicolsky (saxofone). Jazz e música instrumental brasileira: John Coltrane a Pixinguinha, de Miles Davis a Baden Powell.


OUTROS EVENTOS

26 e 27/11
PERFORMANCES – Curadoria de Ronald Duarte

Série de intervenções com o objetivo de provocar uma reflexão sobre a vida urbana. Acontecerá na rua em frente à Casa de Cultura Prof. Almir Paredes. A cidade, seus ruídos, a deso-rientação, a identidade, o monitoramento, exercido pelo poder, a capacidade de reagir e o humor são motes para a realização dessas performances.

Artistas convidados:
Ronald Duarte
Romano
Mary Fê
Pontogor e Abel Duarte
Claudio Cambra
Ao leo
Jarbas e Cabelo

27/11
Palestra com DANIELA LABRA
Performance como prática artística dentro e fora do Museu. Relato da experiência curatorial do festival nacional Performance Arte Brasil, ocorrido no MAM Rio em março de 2011. Reflete a relação entre as práticas per-formáticas nas artes visuais e o meio institucional brasileiro, além de lançar um olhar crítico sobre esse tipo de produção artística no país.

Daniela Labra é curadora e crítica de arte, doutoranda em História e Crítica de Arte pelo PPGAV/EBA-UFRJ. Atuando desde 2003, já realizou mais de 20 mostras e festivais, entre eles: Festival Performance Arte Brasil, MAM RJ, 2011; Performance Presente Futuro, Oi Futuro, RJ, 2008-2010; VERBO, Galeria Vermelho, SP, 2005-2007; Investigações Pictóri-cas, MAC Niterói, RJ,2009; Publicou a série Performance Presente Futuro, 2009-2011, Col. arte e tecnologia/Oi Futuro, e é autora do livro Wanda Pimentel, MAC Niterói, 2010. Vive no Rio de Janeiro. Site: www.artesquema.com

07 e 08/12
II ENCONTRO DE HISTÓRIA DA ARTE E I ENCONTRO DE CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO: AS NOVAS FRONTEIRAS DO ENSINO E DA PESQUISA
Congrega profissionais ligados aos campos da História da Arte e Conservação e Restauração, incluindo-se professores e alunos de cursos de graduação e pós-graduação, pesquisadores, profissionais de museus, arquivos, bibliotecas, serviços de patrimônio, centros culturais e outras instituições afins.

09, 10 e 11/12
MOSTRA NACIONAL DE VIDEOARTE – Curadoria de Michelle Sales e Rogério Medeiros
A ênfase da mostra está em exibir, no formato de curta-metragem, materiais audiovisuais que se encaixem nas categorias: videoarte, videodança, videoclipe e ou linguagens híbridas entre o cinema e o vídeo, com a duração de até 20 minutos.
Artistas convidados:
André Parente, Milena Travassos, Vicente Duque Estrada, Alexandre Veras, entre outros

16/12 às 18h
Lançamento do catálogo da III BIENAL DA ESCOLA DE BELAS ARTES

Nomes dos artistas:
ALEXANDRE MARTINS , ANDERSON DIAS , BARACHO, BÁRBARA BOAVENTURA FRIAÇA, BEATRIZ CAVALCANTI , CAMILA LUÍSA CARRELLO, CASSIA LYRIO, CHICA NETTO, DANIEL GABRIELLI, DIEGO GUERRA , FREDERICO ARÊDE, GUILHERME DELGADO, IGOR SPELLMEIER , JANE TEIXEIRA , JESSICA KLOOSTERMAN, JESSICA DEPOVOÁ , JOANA JARDIM , JOÃO DE ALBUQUERQUE, JULIA FURTADO MARTINO, JULIA SCHMIDT, KATIA SANTOS, LEXX LEGG, LUISA VIDAL, PRISCILLA ALMEIDA, RANNY VIDAL , RENATO GOMES SHAMÁ DOS SANTOS , TÉO SENNA , THAÍS SPÍNOLA , WILLIAM ANSELMO
*Texto: Divulgação/ Facebook

Por dentro do Museu Imperial

Biblioteca infantil do Museu Imperial divulga programação de novembro*


Em novembro, a Biblioteca Rocambole, biblioteca infantil do Museu Imperial, terá uma programação especial voltada para os dias nacionais da Música, da Alfabetização e da Consciência Negra. Serão leituras, contações de histórias, poesias e oficinas destinadas a grupos escolares.

Em comemoração ao Dia Nacional da Música (22/11), será realizada a atividade “Hora da Poesia” nos dias 11 e 25, às 13h30. Após a leitura de poesias do livro “Caixinha de Música”, de Roseana Murray, haverá momento de contato e leitura espontânea na Biblioteca Rocambole.

Ainda em homenagem à Música, no dia 16, às 15h, acontece a “Hora do Conto” com o livro “Mozart”, extraído da coleção “Crianças Famosas”, de Ann Rachlin. A leitura será acompanhada de performance de Carolina Knibel ao piano, apresentando  obras de Wolfgang Amadeus Mozart. Em seguida, as crianças participarão de oficina criativa e sensibilização musical.

No dia 09, será celebrado o Dia Nacional da Alfabetização (14/11) com a oficina “Vamos brincar com as palavras?”, realizada às 15h. A atividade terá como base a leitura das obras “Para Onde Pulou a Pulga?” e “Na Venda de Vera”, de Hebe Coimbra.

Lembrando o Dia Nacional da Consciência Negra (20/11), haverá “Hora do Conto” no dia 23, às 15h. Após leitura da obra “A vida de Zumbi de Palmares”, coordenada por Joel Rufino dos Santos e publicada pela Fundação Cultural Palmares do Ministério da Cultura, acontece uma oficina criativa.

Já no dia 23, às 15h, o livro explorado será “Meus Contos Africanos”, publicação que contempla contos selecionados por Nelson Mandela. A contação será dinamizada por Alaíde Guedes e seguida de oficina.

Todas as atividades são destinadas a grupos escolares previamente agendados. As instituições interessadas em participar podem realizar o agendamento junto ao setor de Educação do Museu Imperial, através do telefone (24) 2245-7735.

A Biblioteca Rocambole funciona de quarta a sexta-feira das 9h às 12h (leitura espontânea, consultas e empréstimos) e das 14h às 17h (atividades escolares agendadas). Seu acervo é composto de cerca de 350 obras, entre as quais livros, revistas, gibis, dicionários, atlas e DVDs.

A programação mensal de atividades da Biblioteca Rocambole e outras informações relativas ao seu funcionamento e acervo podem ser acessadas no Blog da Biblioteca.

*Texto: Assessoria de Imprensa do Museu Imperial


Por dentro do Museu Imperial

Fim de semana musical: Museu Imperial oferece concertos gratuitos sábado e domingo*


 
No próximo final de semana, o Museu Imperial será palco de dois concertos gratuitos de música erudita. No sábado, dia 05, às 19h, o violonista Turíbio Santos se apresenta no Cine Teatro Museu Imperial. Já no domingo, às 16h, acontece o VI Concerto da Temporada 2011 do Conjunto Anima e Cuore da UCP, na Sala da Batalha.

O concerto de Turíbio Santos fará parte das comemorações dos 20 anos da Sociedade de Amigos do Museu Imperial (SAMI). Além disso, na data é celebrado oDia Nacional da Cultura.

Considerado pela crítica e pelos especialistas como um dos maiores violonistas clássicos da atualidade, Turíbio Santos já percorreu o mundo diversas vezes, com críticas brilhantes nos principais centros musicais. Com 65 discos gravados, já dividiu o palco com grandes celebridades musicais e orquestras.

A apresentação do Conjunto Anima e Cuore da Universidade Católica de Petrópolis será a sexta realizada este ano no Museu, ocorrendo sempre no primeiro domingo do mês, às 16h.

Sob a regência do maestro Antônio Gastão, o grupo foi fundado em novembro de 1986 e já realizou centenas de apresentações.Formado por alunos e ex-alunos bolsistas da universidade, possui um repertório extenso e variado, incluindo desde peças de compositores anônimos do período medieval até os grandes mestres do período barroco.

Interessados em comparecer aos eventos podem retirar os convites gratuitos na bilheteria do Museu Imperial de terça a domingo, das 11h às 17h30.

*texto: Assessoria de Imprensa do Museu Imperial

Por dentro do Museu Imperial

Museu Imperial participa do festival de fotografia Clic! Petrópolis*

 
O Museu Imperial e a Casa de Cláudio de Souza (pertencente ao Museu) abrigarão parte das atividades do festival de fotografia Clic! Petrópolis, que ocorre em sua primeira edição de 03 a 27 de novembro. O evento acontece paralelamente ao festival de gastronomia Petrópolis Gourmet e tem como objetivo integrar as áreas de fotografia, turismo e hotelaria.

O festival, promovido pela Sociedade Petropolitana de Fotografia (SOPEF) e pelo Petrópolis Convention & Visitors Bureau, reunirá exposições coletivas e individuais, projeções, palestras, oficinas, visitas técnicas, passeios fotográficos e outras atividades no Centro Histórico e em Itaipava. Além do Museu Imperial e da Casa de Cláudio de Souza, haverá atividades na SOPEF, CEFET/RJ - UnED Petrópolis e no Centro Cultural FASE.

Entre os profissionais de renome nacional e internacional que participarão do evento estão Custódio Coimbra, Gabriel Paiva, Luiz Alvarenga (fotojornalismo), Alexander Landau (gastronomia), Ricardo Cruz (moda) e Príamo Melo (natureza).

Veja abaixo a programação no Museu Imperial e na Casa de Cláudio de Souza:

03 de novembro, quinta-feira
19h: Abertura oficial do Petrópolis Gourmet e do Clic! Petrópolis
Local: Pátio da Locomotiva
Exclusivo para convidados

04 de novembro, sexta-feira
17h: Palestra “Fotografia: invenções de ‘uma arte ao alcance de todos’ (século XIX ao XXI)”, com a professora doutora Maria Inez Turazzi, pesquisadora do Museu Imperial
Local: Sala Multimídia do Museu Imperial
Entrada gratuita

11 de novembro, sexta-feira
19h: Inauguração da exposição “Pitadas de sabor”, de Alexander Landau
Local: Casa de Cláudio de Souza
Visitação: de terça a sexta, das 11h às 18h
Entrada gratuita

20h: Palestra “Fotografia e gastronomia”, com o fotógrafo Alexander Landau
Local: Casa de Cláudio de Souza
Entrada gratuita

12 de novembro, sábado
9h: “Passeios fotográficos: circuitos do imperador” – Circuito I
Passeio fotográfico a pé, com acompanhamento de historiador e fotógrafo, reproduzindo um dos caminhos favoritos do imperador d. Pedro II em Petrópolis.
Concentração no Cine Teatro Museu Imperial
Participação gratuita – inscrições pelo telefone (24) 2245-4668 ou pelo e-mail mimp.someluz@museus.gov.br

13 de novembro, domingo
9h30: Jeep Tour – Centro Histórico e Bonfim
Saída do Museu Imperial
Valor: R$ 80,00 – informações: (24) 2225-2069 / contato@montanhaexpedicoes.com.br

16 de novembro, quarta-feira
19h: Palestra “A linguagem fotográfica”, com Karen Montenegro
Local: Sala Multimídia do Museu Imperial
Entrada gratuita

18 de novembro, sexta-feira
Das 9h às 12h e das 14h às 17h: “O Museu que não se vê Especial sobre Fotografia”
Visita aos setores técnicos do Museu Imperial (Museologia, Biblioteca, Arquivo Histórico, Laboratório de Conservação e Restauração e Projeto DAMI – Digitalização do Acervo do Museu Imperial), conhecendo o acervo relacionado à fotografia.
Local: Museu Imperial
Participação gratuita – inscrições pelo telefone (24) 2245-4668 ou pelo e-mail mimp.someluz@museus.gov.br

19 de novembro, sábado
9h: “Passeios fotográficos: circuitos do imperador” – Circuito II
Passeio fotográfico a pé, com acompanhamento de historiador e fotógrafo, reproduzindo um dos caminhos favoritos do imperador d. Pedro II em Petrópolis.
Encontro no Cine Teatro Museu Imperial
Participação gratuita – inscrições pelo telefone (24) 2245-4668 ou pelo e-mail mimp.someluz@museus.gov.br

19h: Palestra “Paisagem”, com Príamo de Melo
Local: Casa de Cláudio de Souza
Entrada gratuita

20 de novembro, domingo
16h: Palestra “Aves da Mata Atlântica”, com João Quental
Local: Casa de Cláudio de Souza
Entrada gratuita

26 de novembro, sábado
11h às 18h: Projeção de fotos dos participantes dos passeios fotográficos do Clic! Petrópolis
Local: Sala da Batalha de Campo Grande – Museu Imperial
Entrada gratuita

27 de novembro, domingo
11h às 18h: Projeção de fotos dos participantes dos passeios fotográficos do Clic! Petrópolis
Local: Sala da Batalha de Campo Grande – Museu Imperial
Entrada gratuita

Endereços:
Museu Imperial: Rua da Imperatriz, 220, Centro – Petrópolis, RJ
Casa de Cláudio de Souza: Praça da Liberdade, nº 247, Centro – Petrópolis – RJ

*Texto: assessoria de imprensa do Museu Imperial

Programação

Programação/ Piraí

Programação/ Lançamento

Por dentro do Museu Imperial

Você conhece os Hare Krishnas?

por chandra santos



Origem

Os ensinamentos da doutrina do Vaishnavismo já eram passados oralmente entre o povo na Índia em 500 a. C. inserido na linha monoteísta do Hinduísmo desde 500 d. C., o movimento Hare Krishna começou a ser pregado por  Sri Caitanya Mahaprabhu.
Veda: escritura sagrada


Os conceitos religiosos

Os Hare Krishnas pregam que o sofrimento nos traz conhecimentos e purificação. O Bem e o Mal são estados de espírito presentes em nós o tempo todo. A crença na Lei do Karma está ligada a “Transmigração da Alma”: a alma representa a vida e é eterna enquanto o corpo, o mundo, é cíclico. Uma alma evoluída passou por varias vidas combatendo os apegos materiais, a ignorância e a sensualidade. Os Hare Krishnas não gostam de usar o termo reencarnação.
Como as demais religiões, eles ensinam que só por meio da graça do Senhor é que a pessoa pode obter a salvação.
Nos Vedas (escrituras sagradas indianas) estão descritos os rituais a serem seguidos pelos devotos em casa ou nos templos. O primeiro do dia ocorre às 04h30: o fiel, após tomar banho, oferece no altar alimentos, incensos, flores perfumadas e lamparinas para as Deidades (imagens dos deuses). A ideia desse ritual, chamado Arati, é o seguidor retribuir a Deus, o que este lhe dá.




O perfil do Hare Krishna
Os devotos de Krishna são pessoas limpas, verdadeiras, pacíficas e sóbrias que não podem comer nenhum tipo de carne ou ovo; além de não consumirem bebidas alcoólicas, tabaco ou outras drogas. Jogos considerados de azar, como loteria, são proibidos. Como em outras religiões, as mulheres casam-se virgens e o sexo é recomendado, apenas, para a reprodução.




O Maha- Mantra


Mahaprabhu pregava o canto dos santos nomes, como alternativa de aproximação com Deus. Ao cantar Hare Krishna o indivíduo purifica a mente e o coração e, através da canção e da dança, pode atingir o Nirvana (união a Deus).


O Maha-Mantra pode ser repetido ou cantado na melodia que o fiel desejar. Nas primeiras horas do dia é recomendado entoá-lo com a ajuda do Japa-Mala.

A ISKON



A sigla, que está em inglês, quando traduzida significa Sociedade Internacional para a Consciência de Krishna. Ela foi criada por Bhaktivedanta Swami Prabhupada, em 1966, nos Estados Unidos. O propósito da ISKON é fazer a sociedade humana ouvir sobre Deus e glorificá-lo.

 Através do programa Food of Life (Alimentos para Vida) os Hare Krishnas desempenham um papel social: distribuem comida (vegetariana) para os necessitados.


O Ratha Yatra


É o Festival das Flores, uma típica festa indiana, cujo objetivo é fazer com que o público receba as bênçãos das Deidades. Apresenta músicas, danças, peças de teatro, belas artes e exibição sobre reencarnação, vegetarianismo e ciência védica (aquela que vem dos vedas). No Rio de Janeiro, ela costuma acontecer na praia do Leblon.
O Ratha Yatra, considerado o maior festival da Terra (e a principal festa religiosa deles), narra a história sobre o retorno de Krishna na companhia dos irmãos ao vilarejo de Vrindavana em uma quadriga e a tentativa das jovens, apaixonadas pelo deus, de mantê-lo na cidade segurando-o pela carroça onde Ele estava com os entes.

Olha só o vídeo abaixo sobre o Ratha Yatra no Rio de Janeiro:
 


Krishna

A oitava encarnação de Vishnu na mitologia Hindu nasceu em Mathura, filho da irmã do tirano do país. Este, advertido pelo oráculo que seria destronado por Krishna, tentou matá-lo. Mas o menino foi salvo e criado entre os pastores.
Uma lenda indiana conta que o deus foi transformado em tronco de Sândalo (uma planta local) e arrastado pelas ondas até a costa de Orissa, na Ìndia.
  

Endereço do Templo Hare Krishna no Rio de Janeiro



Centro de Estudos Védicos e Bhakti Yoga
Estrada da Barra da Tijuca, 1990, Itanhangá, Rio de Janeiro - RJ
Telefone: (21) 3563-1627
E-mail:
contato@harekrishnarj.com.br
Site: www.harekrishnarj.com.br

Olha o que eles fazem no templo:

Quer saber tudo sobre os HareKrishnas? Então assiste o documentário abaixo:







Programação/ Música/ Festival

SWU 2011


Nos próximos dias 12, 13 e 14, acontece na cidade de Paulínia (SP), mais uma edição do Festivel SWU (Starts With You - Começa Com Você).

Entre as atrações: Black Eyed Peas, Kanye West, Snoop Dogg, Marcelo D2, Duran Duran, Peter Gabriel e The New Blood Orchestra, Ultraje a Rigor, Chris Cornell, Zé Ramalho, Faith No More, Alice in Chains, Megadeth, Sonic Youth e Raimundos.

Ainda há ingressos à venda! Garanta o seu aqui.

Pesquisar este blog

assine nossa newsletter!