Pular para o conteúdo principal

Projeto educativo na Lavradio resgata a história dos azulejos no Brasil

Mesas redondas, palestras, exercícios lúdicos e oficinas integram a programação

A Galeria Scenarium acaba de dar início ao projeto educativo referente à exposição “Azul Cobalto – Azulejos e Memórias”, realizada pelo Instituto Scenarium. O espaço promoverá uma série de atividades pedagógicas direcionadas aos públicos infanto-juvenil, universitários e em geral, até fevereiro de 2015. Além da mostra, que foi aberta na última quarta-feira, dia 05, acontecerão também mesas redondas com profissionais renomados, exercícios lúdicos e oficinas de conservação e criação de azulejos. Os interessados podem se inscrever no site www.galeriascenarium.com.br



“O objetivo desse projeto educativo é eternizar memórias, ao aproximar o público do universo da azulejaria, além de trazer para a realidade do expectador os processos de recuperação de peças antigas que ajudem no entendimento sobre o universo do azulejo, tão presente no patrimônio arquitetônico carioca e brasileiro”, explica Cristina Lodi, curadora do projeto.


Nas palestras, serão abordados o processo de restauração das peças, sua composição gráfica e o trajeto no país e no mundo. Serão discutidos, também, o colecionismo, a musealização de objetos, a história do percurso da azulejaria nos últimos cinco séculos e curiosidades sobre os períodos estilísticos.
Haverá exibição de vídeos que mostram como foram feitas as recuperações e pesquisas das peças da exposição. Nas oficinas, serão ministradas aulas sobre o processo manual de remoção de resíduos de azulejos antigos e produção a partir da técnica de estampilha.



Exposição “Azul Cobalto – Azulejos e Memórias”
Abertura: 05 de novembro
Horário: 13h às 19h
De terça a sábado
Endereço: Rua do Lavradio, nº 15, Centro Antigo, Rio de Janeiro/RJ
Informações: (21) 2252-9138 (novo número)
Entrada gratuita

Oficinas
Oficina 01: Conservação de azulejos
Datas: 19 e 21 de janeiro / 09 e 11 de fevereiro
Horário: 09h às 12h
Inscrições: A partir de 17 de novembro
                Tem como objetivo habilitar os participantes a utilizar técnicas de conservação em azulejos, bem como promover uma reflexão acerca da importância da preservação através da conservação. Terá como público-alvo pessoas interessadas em conservação.
                A oficina se dará em dois módulos em dias distintos com o máximo de 10 inscritos.

1º módulo (tempo de duração de 3 horas)
                Terá como início uma breve reflexão sobre a importância da preservação de bens culturais, seguido da apresentação das técnicas de conservação e sua execução aplicando a metodologia que permita trabalho em série com organização da bancada, com distribuição das ferramentas e materiais a serem utilizadas, e procedimentos de conservação, higienização e acondicionamento.
Insumos:
•             EPI: aventais, luvas cirúrgicas e óculos de proteção;
•             Materiais e ferramentas: placas de Etaflon (250 x 250mm), swob (palitos com algodão), borrifadores, lixas variadas, sacos de algodão, ferramentas para desbaste em cerâmica, plástico bolha (previamente recortados nas dimensões adequadas para acondicionamento das peças), caixas para acondicionamento.
•             Mobiliário e equipamentos: cestos de lixo, mesas e cadeiras individuais

2º módulo (tempo de duração de 3 horas)
                Composição e montagem de painel em placa de MDF, selecionado pelo grupo, para exposição no módulo de encerramento. Avaliação do resultado, registro dos trabalhos e reflexão dos participantes sobre o conhecimento adquirido; exposição com a presença dos participantes dos painéis produzidos no módulo anterior.
Insumos:
•             placas de MDF
•             cola de silicone.

Oficina 02: Criação de azulejos com técnica de estampilha
Datas: 15 e 17 de janeiro / 26 e 28 de fevereiro
Horário: 09h às 12h
Inscrições: A partir de 1º de dezembro

                Reprodução dos motivos das peças da coleção pela técnica de estampilha, que consiste em decorar azulejos com desenhos simples e pintado pelo processo de colocar um molde de papel ou acetato sobre o vidrado do azulejo, permitindo criar uma matriz para cada cor aplicada com uma trincha.
Materiais:
•             Trinchas
•             Molde de papel ou acetato
•             Tinta Acrílica


Sobre o Instituto Scenarium – As atividades do Grupo Scenarium se consolidaram como um exemplo bem sucedido de revitalização de prédios históricos em consonância com desenvolvimento socioeconômico e sustentável da região conhecida como Rio Antigo. No intuito de reafirmar o compromisso do grupo com o desenvolvimento social e cultural, sustentabilidade e preservação do patrimônio histórico e cultural da cidade do Rio de Janeiro, os empresários Nelson Torzecki e Plínio Fróes criaram o Instituto Scenarium, braços de ações sociais e culturais do grupo em atuação desde 1997.
A fim de ampliar e multiplicar as ações sociais do grupo, o Instituto Scenarium se interpôs o desafio de criar o Circuito Colaborativo de Arte e Cultura Scenarium, que tem como objetivo organizar, difundir e promover a pesquisa e dar acesso público ao singular acervo de obras de arte, antiguidades e bens culturais pertencentes ao Grupo Scenarium. O acervo da exposição, identificado como Coleção Nelson Torzecki, foi adquirido ao longo de mais de 20 anos no mercado de antiguidades e entretenimento.
Fazem parte do múltiplo e difuso acervo do grupo, preciosidades como documentos, registros, artefatos e objetos que se ligam diretamente à história da cidade do Rio de Janeiro. As peças revelam o cotidiano, a intimidade e os hábitos dos moradores da antiga capital imperial e republicana em distintos períodos. Muitos desses bens, utilizados nos últimos cinco séculos, se constituem em peças únicas, inéditas para o público, sem similares em coleções e acervos da cidade.
            A exposição “Azul Cobalto – Azulejos e Memórias” representa a primeira etapa do desenvolvimento do Circuito Colaborativo de Arte e Cultura Scenarium.

Fonte: Assessoria de Imprensa


ATENÇÃO!!!
Oferta exclusiva do Sete Artes!
Atenção! Desconto exclusivo Sete Artes e Dafiti! Use o código af0M2C nas suas compras em http://oferta.vc/617R e ganhe descontos exclusivos! Até 10 de janeiro de 2015!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visitadas deste blog

A origem do Modernismo brasileiro, por chandra santos

"Abaporu": obra deu origem ao Movimento Antropofágico
Imagem: Tarsila do Amaral
As ideias surrealistas vieram para o Brasil na década de 1930 e foram absorvidas pelo movimento Modernista. A pintora Tarsila do Amaral e o escritor Ismael Nery foram os mais influenciados. Além deles, a escultora Maria Martins, o pintor pernambucano Cícero Dias, o poeta Murilo Mendes e os escritores Aníbal Machado e Mário Pedrosa também acrescentaram elementos surreais em suas obras.
A Semana de 22 foi o ápice do movimento Modernista no Brasil. Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Víctor Brecheret, Plínio Salgado, Anita Malfatti, Menotti Del Pichia, Guilherme de Almeida, Sérgio Milliet, Heitor Villa-Lobos e Tarsila do Amaral são algumas das personalidades que estiveram presentes no evento ocorrido nos dias 13, 15 e 17 de fevereiro no Teatro Municipal de São Paulo. Considerada um marco na arte brasileira, por propor a ruptura com o passado, a Semana de 22 revolucionou a Literatura, a música, a pin…

"A Aventura Surrealista", por chandra santos

Já está à venda o livro "A Aventura Surrealista" , do ensaísta e artista plástico Sergio Lima. A obra conta a história e a influência do surrealismo na arte moderna brasileira, entre 1901 e 1920.
Quem se interessou pelo tema, pode adquirir a publicação anterior, de 1995, que aborda as vertentes formadoras do movimento surrealista. O artista pretende lançar mais duas obras: uma sobre os anos 1921-30 e outra com antologia do surrealismo no Brasil.

Imagem: Reprodução de Internet




Feliz Dia do Amigo

O Sete Artes deseja a todos um Feliz Dia do Amigo!!!!






 (Clique para ampliar)
Saiba a origem da data aqui.

Siga @chandrasantos no Twitter e retuíte frases de amizade para os seus amigos!
Imagem: Autoria Desconhecida





Curiosidades

O que são Belas Artes?
por chandra santos
Definir arte é uma tarefa complexa, que varia de acordo com as transformações culturais e o contexto histórico. Segundo o filósofo Charles S. Peirce, fundador da Semiótica, a principal função das artes é expressar os estados de consciência humana. Partindo dessa definição, terapeutas e psicólogos passaram a usá-las como parte de tratamentos. A psiquiatra brasileira Nise da Silveira fundou o "Museu de Imagens do Inconsciente" com obras feitas por seus pacientes durante a terapia ocupacional.

São consideradas Belas Artes: Arquitetura; Pintura; Escultura; Música; Literatura; Teatro e Dança; e Cinema. A divisão e o termo foram criados pelas academias de arte europeias, no século XVII, com o objetivo de separar as artes em duas classificações. Segundo artigo publicado na Wikipédia, eram consideradas, até o século XIX, como artes "superiores" as Belas Artes e como artes "inferiores' as Artes Aplicadas.

"As belas arte…

Programação/ Artes Visuais (SP)

Exposição PARAISO na Galeria André

Entre os dias 16/08 e 11/09, a Galeria André recebe a mostra PARAISO, inciando um novo ciclo do centro cultural. Participam da mostra André Crespo, Clarice Gonçalves, Eduardo Kobra, João César de Melo, Luiza Ritter, Marco Stellato, Paulo Queiróz, Rafael Resaffi e Rodrigo Cunha. A mostra tem curadoria de Sônia Skroski.
De acordo com release recebido pelo Sete Artes: "Artistas novos foram procurados com empenho, indicações, visitas aos ateliers, análise de obras, um verdadeiro garimpo. E desta procura foram selecionados 9 artistas que farão parte da exposição PARAISO. O tema abrange além do que nossa imaginação pode chegar. Os artistas vão expor obras inéditas, criadas especialmente para a mostra. A escolha dos artistas demonstra jovialidade das obras e dos artistas. O tema foi escolhido para proporcionar aos artistas uma performance peculiar e densa dentro do universo de cada um."
Conheça: texto: Assessoria de Imprensa da Galeria André
André Cresp…